AdBlock Detected

Parece que você está usando um bloqueador de anúncios!

Por favor. Contribua com nosso trabalho desativando o bloqueio de anúncios. Obrigado!

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Dicas de Desenvolvimento Pessoal, Relacionamento Afetivo e Frases Motivacionais

Zona de Conforto: As 12 Dicas Pra Você Destruí-la

mulher deitada na cama com um livro na mão




Sair da zona de conforto pode ser assustador e desafiador, mas é essencial para o crescimento pessoal, profissional e emocional.

A zona de conforto é um lugar onde nos sentimos seguros e familiarizados, mas também é onde não há muito espaço para o progresso.

É um refúgio muitas vezes sedutor, entretanto, um terreno onde o crescimento estagna e as oportunidades de transformação ficam adormecidas.

Para sair da zona de conforto é preciso estar disposto a se arriscar, enfrentar o desconhecido, desbravar um território repleto de desafios e aprendizados.

É um convite para expandir horizontes, descobrir potenciais inexplorados e construir uma versão mais robusta de si mesmo.

Neste texto você vai encontrar algumas ideias e direções que você pode tomar para acabar com a zona de conforto. Espero que estas ideias ampliem sua consciência com relação a esta praga que domina a humanidade. 

Boa leitura!

Zona de Conforto: As 12 Dicas Pra Você Destruí-la

1- Seja Positivo

Larry David, criador das séries de sucesso Seinfeld e Curb Yor Enthusiasm é do Brooklyn, mas viveu a maior parte da vida em Los Angeles.

Numa rara estrada em Manhattan para filmar o episódio de Curb em que interpreta ele mesmo, David foi ver um jogo no Yankee Stadium.

Durante uma pausa do jogo as câmeras exibiram sua imagem nos telões gigantescos. Todo o estádio se levantou para aplaudi-lo.

Entretanto, quando David estava indo embora, mais tarde naquela noite, no estacionamento, alguém colocou o corpo para fora de um carro que passava e gritou: “Larry, você é um imbecil”.

No caminho para casa, Larry David ficou obcecado com aquele único encontro: “Quem é aquele cara?”. Foi como se todos os fãs não existissem naquele momento.

Ou seja: A negatividade nos foca numa faixa estreita, no que está nos incomodando. Uma grega geral da terapia cognitiva sustenta que focar nas experiências negativas é uma receita para a depressão.

Quando temos emoções positivas elas ampliam nosso raio de atenção que transformar nossa percepção. Focar nas coisas negativas ou nas positivas funciona como uma alavanca para determinarmos como nosso cérebro vai operar.

Por exemplo: Se focarmos nos nossos pontos fortes nos incentiva a seguir rumo a um futuro desejado, por um outro lado, dirigir a atenção às nossas fraquezas provoca um senso defensivo de obrigação e culpa, nos fechando para o mundo.

2- Reine sua Mente

Você tem um reino para governar que é a sua mente e que por vezes parece que você não é o governante. Todavia, sua mente não pode triunfar sobre você e dizer pra você o que pensar, sentir e fazer.

No entanto, ele me foi dado para servir a qualquer propósito que eu perceber nele. A minha mente só é possível servir.

Temos uma tendência a escutar vozes da nossa mente que por sua vez tem pensamentos negativos. Eles geram sentimentos que se transformam em ações.

Portanto, se você tem pensamentos negativos ela vai te desanimar e te enfraquecer.

3- Ser Resiliente

Sem resiliência ficamos fadados a viver, eternamente, para os nossos contratempos e nunca progredimos em nossas vidas.

As dores das nossas frustrações passadas são tão debilitantes que não conseguimos reunir coragem e a vontade necessária para correr riscos e criar oportunidades.

Sem resiliência, contentamo-nos a jogar no garantido, nos escondemos do mundo privando-nos da dor, mas, também das possibilidades de alegria, entusiasmo e satisfação.

O medo do fracasso assoma-se sobre nossas mentes, no entanto, ignoramos um fracasso maior que é o de não conseguir nem ao menos tentar ou arriscar.

4- Começar a Fazer as coisas pequenas

Hermes Trimegistos já dizia: “O que está acima, está embaixo”. O microcosmos é o macrocosmos. As leis que estão no universo, estão aqui no planeta terra, também.

Ou seja: Comece a sair da zona de conforto nas coisas pequenas como lavar o prato depois do almoço ou arrumar sua cama ou ler 2 folhas do livro que está parado na tua casa ou lavar o seu carro.

Enfim, realize as pequenas tarefas que vai começar a te dar força para as grandes.

imagem de um relógio despertador com uma pessoa segurando
zona de conforto

5- Esquece o Passado Pra Sair da Zona de Conforto

Quando você age, toma por base o teu passado. Você vive de acordo com as experiências que acumulou e faz suas ações com base nas conclusões a que chegou no passado.

E este passado te domina e por causa dele você não consegue ver o presente. Seus olhos estão presos nele, a neblina do teu passado é tao espessa que é impossível enxergar alguma coisa.

Você não vê! Está quase cego! Simplesmente, por que tomou como base o que você viveu.

6- Identifique o que te impede

Antes de começar, é importante entender o que te mantém na zona de conforto.

Pode ser o medo do fracasso, a falta de confiança ou até mesmo a preguiça. Identificando essas barreiras, você pode começar a trabalhar nelas.

7- Estabeleça metas claras

Defina metas realistas e alcançáveis. Comece com pequenos passos e vá aumentando gradualmente. Isso criará um senso de progresso e motivação.

8- Experimente coisas novas:

Saia da sua rotina e experimente atividades diferentes.

Pode ser qualquer coisa, como praticar um novo esporte, aprender um instrumento musical ou até mesmo fazer uma viagem sozinho. O importante é sair da sua zona de conforto e se expor a novas experiências.

9- Aceite o desconforto

Lidar com o desconhecido pode ser desconfortável, mas é necessário. Aceitar esse desconforto e aprender a lidar com ele é fundamental para o seu crescimento. Lembre-se de que é normal sentir medo ou insegurança.

10- Busque apoio

Conte a sua jornada para pessoas próximas e peça apoio. Ter alguém para te motivar e encorajar pode fazer toda a diferença.

11- Aprenda com os erros:

Não tenha medo de errar. Os erros são oportunidades de aprendizado e crescimento. Seja gentil consigo mesmo e permita-se cometer erros ao longo do caminho.

12- Celebre as conquistas:

A cada passo dado fora da zona de conforto, celebre suas conquistas. Isso vai te motivar a continuar seguindo em frente.

Agora você vai ler alguns pensamentos sobre o que é a zona de conforto, Veja abaixo:




Zona de Conforto: Escravo é Poder Mudar e Não Fazer Nada

Um jovem se queixava a um mestre zen a respeito das dificuldades que ele vinha passando, sua vida era muito sofrida, com diversas dores,e isto lhe mantinha muito triste.

Então, um dia o jovem queria saber como poderia passar pelas tristezas ou dores, já que era uma adversidade muito grande e complicada.

Aí o mestre entrou com o jovem para dentro de sua cabana e mostra uma tigela com sal e pede para ele encher sua mão. O mestre pegou um copo d’ água e pediu para o jovem mergulhar sua mão dentro do copo e disse:

“Sacode copo e beba!”

O jovem bebe e responde:

“Nossa! Que Horrível!”

O mestre pede que ele repita a mesma operação, mas agora mergulhando sua mão num rio e ordena:

“Agora Prove a Água do Rio”.

Jovem bebe, novamente, e responde:

“Deliciosa! Fresca! Tem o Sabor Maravilhoso!

Assim ele pergunta:

“O que Foi que Mudou? O Sal? A Quantidade ou Sabor?”

Ou seja: Não se trata de mudar as adversidades da vida, mas sim de você se transformar num copo em rio por que assim as adversidades não salgarão mais sua vida.

Não lute contra as adversidades e a zona de Conforto!

Eles são o que são e sempre serão, então, transforme você em copo num rio. Cresça e Amplie!

Você vai perceber que estas adversidades já não mudarão a tônica de sua vida. Aliás, existe uma máxima do filósofo epíteto, na qual era escravo que um dia lhe disseram:

“Você é um Escravo e se Acha um Filósofo!”

E ele disse:

Você sabe que é um escravo? É aquele que não pode mudar uma situação e fica lutando, mas o verdadeiro escravo é aquele que pode mudar algo e não faz nada”.

Ou seja: Mudar o sabor e a quantidade de sal não dá pra mudar, mas mudar o copo em rio dá. Não dá pra fugir do trânsito, mas dá pra sair mais cedo da nossa casa.

Então, escravidão, para Epíteto, é ficar lutando contra aquilo que não podemos e ficar passivo no que podemos mudar.

Prof Lucia Helena Galvão
(Filósofa)

Você é Casado com a Zona de Conforto?

Praticamente, toda a humanidade se “casa” com a zona de conforto, porém, não sabem o buraco que vai encontrar, porquê?

Por que querem evitar a dor, mas isto não seria um problema se fizéssemos uma ou duas vezes por ano, porém,
pra nós é um hábito profundamente arraigado.

E ficamos atrás de um muro invisível, entrincheirados, e não nos aventuramos a sair de trás dele porque além do muro está a dor.

Então, este espaço seguro é a zona de conforto. Que não é um lugar físico e sim um estilo de vida que evita qualquer coisa que possa ser dolorosa.

Por mais estranho que pareça, meramente escapar da dor não é suficiente para nós e insistimos em substituir a dor pelo prazer. Fazemos isso com um conjunto interminável de atividade viciantes:

1- Navegar na internet
2- Drogas
3- Alcool
4- Pornografia
5- Comidas gostosas
6- Compras compulsivas

E assim todos estes comportamentos são generalizados, todos nós fazemos parte de uma cultura em busca de sua zona de conforto.

O que não sabemos é que este mundo alternativo que buscamos é um banho morno, agradável e reconfortante, como se, por um momento, você estivesse de volta ao útero materno.

O problema é que este “banho” só fazem nos debilitar. Enfim, não importa do que consiste sua zona de conforto, você paga um preço alto por ela, pois a vida oferece infinitas possibilidades, mas junto com elas vem a dor.

Se você for incapaz de tolerar a dor, será incapaz de viver plenamente. Não se esqueçam: A finalidade da zona de
conforto é manter a vida segura, mas o que realmente faz é manter a vida LIMITADA.

Então, a pergunta: Você ainda quer continuar “casado” com a zona de conforto?

(Phil Stutz/Barry Michels)

Zona de Conforto: Saiam Dela ou Nunca Terá Uma Vida

Na mitologia grega, Sísifo, foi condenado pelos deuses a rolar uma montanha acima, até o topo. Quando chegava lá, a pedra rolava abaixo.

Ele descia e rolava a pedra, novamente, acima chegava lá em cima, a pedra rolava para baixo e assim ele ficaria eternamente num castigo.

Esta história da mitologia grega é uma metáfora da situação humana nos dia atuais. Se tornou uma condição humana a zona de conforto.

Sísifo já sabe o que esperar e ele leva uma vida confortável dentro da zona de conforto, mesmo que isso o leve a morte.

Por mais problemas que a pessoa tenha, qualquer proposta que faça a pessoa crescer, evoluir é considerado uma ameaça, um insulto, uma agressão, simplesmente por que exige alguma mudança na vida daquela pessoa.

E isto acontece por que as pessoas já introjetaram e incorporariam uma filosofia de vida e visão de mundo.

O autor do livro a guerra da arte diz que o ser humano vive 2 vidas. A vida que vivemos e a não vivida, entre elas tem a zona de conforto. Que é que nos impede de ter a vida que Deus nos planejou.

Um homem careca sentado debruçado numa mesa com uma garrafa na mão.
Zona de Conforto

A Zona de Conforto: O que Ela Produz nas Pessoas?

1- Alcoólatras

2- Viciados em drogas

3- Bandidos

4- Doenças

5- Fúrias em Trânsito

6- Obesidade

A humanidade não é livre e não tem liberdade. Por que a liberdade só é adquirida quando o ser humano adquire consciência dos seus atos.

No livro Bardothodol, livro tibetano dos mortos, diz que quando o homem amarra uma bola de ferro pesada no tornozelo e que não dá nenhum passo para crescer ele decidiu morrer.

Então, a vida só executa! E se torna inviável! Pois a vida é crescimento, então, se você não crescer pra que vida? Você só esta decretando a sua própria morte.

Enfim, infelizmente o homem não toma gosto por estar crescendo e sim por estar sempre parado e confortável, pois amamos mais o conforto do que crescimento.

Entretanto, algemamos a liberdade e por consequência nunca iremos ter uma vida de verdade.

Zona De Conforto: Resistir as Mudanças Cotidianas é Resistir à Vida

Por que fazer mudanças é tão difícil? Quando eu era mais jovem ficava mais excitado pelas mudanças, eu olhava em direção à elas e ficava feliz quando aconteciam.

Mas como estou envelhecendo, tenho evitado isto o máximo possível e nem posso lidar com elas quando acontecem.

Existe uma Resposta para as Mudanças Sandhguru?

Uma razão pela qual as mudanças são mais difíceis é quando você está se tornando mais velho, afinal, você encontrou um casulo de conforto.

Existem muitas zonas de conforto as quais você criou e qualquer perturbação nelas você ficará desestabilizado.

Quando você era jovem não procurava por conforto e sim vida. Já agora, você não está procurando vida e sim confortoHoje, você procura mais: Segurança.

Quando você tinha 16,17 anos, você queria os sonhos mais loucos sobre o que fazer da sua vida, mas quando você chegou aos 25, cortou todos os babados e pensou:

“Eles não são práticos! Eu estou me tornando prática agora!”

Mas tudo que está acontecendo é que você está se tornando covarde, todavia, você disse que está se tornando prático! E cortou muitas coisas dizendo:

Se eu conseguir um emprego e ganhar pra sobreviver isto já está bom”.

E quando chega aos 35 anos está pensando:

“Se eu não me envolver em nenhum problema já é o bastante”.

Ou seja, você não está olhando em direção a algo grande que possa acontecer. Pra você não se envolver em problemas já está bom demais, mas é quando você começa a se envolver em problemas.

Então, você não está olhando para a vida com entusiasmo e sim olhando a vida com segurança.

Leia também

Problemas: Você precisa deles pra crescer

Pessimismo: Como parar e acabar com ela?

Quanto Mais Conforto mais Perturbado Ficará

E quanto mais segurança você estiver inserido, mais perturbado ficará com cada mudança que acontecer na tua vida.

A essência da existência física é mudança, não é? Tudo é cíclico. Existe algo que não esteja em processo de transformação? Tudo nesta existência sofre mutações! A própria essência da realidade física é mudanças!

Nada é constante e mesmos os estados estáticos são dinâmicos na natureza, assim você resiste à mudanças, você resisti à vida.

Se você quiser uma vida imutável, existe um lindo lugar onde nada muda é a tua sepultura.

Então, se você não quiser fazer mudanças vá logo pra sepultura ou tente se salvar.

O que você precisa entender é que você faz parte do processo físico da existência onde tudo está mudando, enfim, não existe nada que não esteja mudando.

Veja que neste momento você está inspirando, já no próximo momento você está expirando. Isto é mudança! Não é?

Uma jovem mulher sentada, de meia no pé segurando um copo na mão
zona de conforto

Zona De Conforto: Resistir as Mudanças é Ganhar a Todas as Formas de Sofrimento

Se você não quiser mudança, pare isso! O que você precisa entender é que quando você resiste às mudanças está resistindo aos próprios processos da vida e assim você está convidando a ganhar todas as formas de sofrimento.

Se você está vivo e quer estar morto estará pedindo por problemas, não é? Você deve estar vivo e enquanto estiver aqui deve viver como se fosse o ultimo dia da tua vida.

Mas se você quer morrer deve fazer isso, eficientemente, isto é uma maneira ineficiente de se matar, de verdade. Infelicidade e depressão são formas ineficientes de se matar, não é assim?

Então, você precisa entender, de uma vez por todas, que você resiste à mudanças por que resiste a todo processo da vida e assim criará um monte de sofrimentos desnecessários.

Eu vou lhe contar uma história:

Num certo dia o diabo decidiu se aposentar, mas por que ele está se aposentando? Por que ele está decidido a colocar à venda todas as ferramentas do seu negócio em uma venda informal.

Então, ele abriu seu console com todas as tuas ferramentas numa pressa enorme. Lá havia todos os tipos de coisas: Raiva, ódio, ciúme e etc, enfim, tudo sobre a mesa.

O problema que vocês foram lá e compraram tudo em muito pouco tempo, foi vendido na primeira hora todas as ferramentas. Toda humanidade comprou, mas ele tinha uma outra bolsa, aí você pergunta:

“O que tem naquela bolsa? Não é pra vender?”

A Resposta do Diabo:

Não! Apenas quero mantê-las comigo, por que elas foram as que melhor funcionaram para fazer o meu trabalho”.

Aí você responde para o diabo:

“Eu quero essas! por favor! Não quer vendê-las?”

O diabo disse:

“Não! Estas duas ferramentas que tenho nesta bolsa funcionaram tão bem durante a minha carreira que eu gostaria de mantê-las como meus souvenirs.

Uma vez que você tenha me perguntado, muitas pessoas juntaram-se atrás delas pedindo:

“Por favor! Ponha pra venda!”

Então, o diabo pegou a bolsa e disse:

“Tudo bem! Se me pagarem um bom preço eu posso colocar para venda”.

Mas o que o Diabo tirou da Bolsa?

Ele tirou a frustração e depressão, pois, não existe nada pior do que isto! Vai trabalhar contra você. Entretanto, quem sabe você coloque-as a venda?

Sandhuru

Zona de Conforto: Conclusão

Lembre-se de que sair da zona de conforto é um processo contínuo, em suma, esteja disposto a persistir e continuar desafiando-se constantemente.

Com o tempo, você verá o quão gratificante pode ser viver além dos limites da sua zona de conforto.

Picture of Walmei Junior

Walmei Junior

Sou Administrador de Empresa, Pós Graduado em recursos Humanos (MBA). Além de ser Coach, Palestrante, Practitinoer em Programação Neurolinguística, Hipnólogo e apaixonado pela mente humana e auto conhecimento.

Comente o que achou:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

---------------Veja mais---------------

PARA MAIORES INFORMAÇÕES CLIQUE NAS FIGURAS ABAIXO PRA COMPRAR.