AdBlock Detected

Parece que você está usando um bloqueador de anúncios!

Por favor. Contribua com nosso trabalho desativando o bloqueio de anúncios. Obrigado!

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Dicas de Desenvolvimento Pessoal, Relacionamento Afetivo e Frases Motivacionais

O Sol e o Vento. As 4 Metáforas. Pra te Motivar na Vida

O Sol e o Vento. As 4 Metáforas. Pra te Motivar na Vida




Neste texto lhe trago uma breve metáfora sobre o sol e o vento.

É uma leitura rápida mas que vai fazer você pensar e tirar insights para a tua vida. Espero que gostem! Boa leitura!

Sol e o Vento

1- Discutiam Qual Era o Mais Forte

Eles discutiam sobre qual dos dois era mais forte e o vento disse:

Provarei que sou o mais forte.

Vê aquele velho que vem lá embaixo com um capote?

Aposto como posso fazer com que ele tire o capote mais depressa do que você.

O sol recolheu-se atrás de uma nuvem e o vento soprou até quase se tornar um furacão, mas quanto mais ele soprava, mais o velho segurava o capote junto a si.

Leiam também

Sol e o vento

Finalmente o vento acalmou-se e desistiu de soprar. Então o sol saiu de trás da nuvem e sorriu bondosamente para o velho.

Imediatamente ele esfregou o rosto e tirou o capote.

O sol disse ao vento que a gentileza e a amizade eram sempre mais fortes que a fúria e a força.

(Autor Desconhecido)

Metáforas



Sol e Vento

2- O Desafio do Sol e do Vento ou A Competição Celestial

Havia uma vez uma pequena aldeia situada no topo de uma colina, onde o sol brilhava generosamente durante a maior parte do ano.

As pessoas da aldeia viviam em harmonia, aproveitando os dias ensolarados para trabalhar nos campos e desfrutar da companhia umas das outras.

No entanto, nem todos os dias eram tão ensolarados quanto os outros, pois, as vezes, nuvens escuras se reuniam no céu e o vento soprava com força, trazendo consigo tempestades que deixavam a aldeia em tumulto.

As árvores rangiam sob a pressão do vento, e as casas tremiam com o impacto das rajadas.

Um dia, o sol e o vento decidiram fazer uma aposta para ver quem era mais poderoso.

O vento, confiante em sua força, propôs um desafio: Eles escolheriam um viajante que estivesse passando pela estrada que levava à aldeia e veriam quem seria capaz de fazê-lo tirar o casaco primeiro.

O sol aceitou o desafio, e assim começou a competição. Eles avistaram um viajante idoso que caminhava pela estrada, encolhido em seu casaco grosso para se proteger do vento gelado que soprava ao seu redor.

O vento foi o primeiro a tentar e com toda a sua força, ele soprou em direção ao viajante, fazendo-o tremer de frio e apertar ainda mais o casaco contra o corpo.

Mas quanto mais o vento soprava, mais o viajante parecia se agarrar ao casaco, determinado a não ceder.

Então chegou a vez do sol. Ele brilhou suavemente sobre o viajante, envolvendo-o em um calor reconfortante.

À medida que os raios do sol acariciavam sua pele, o viajante começou a sentir o calor penetrando em seu casaco. Pouco a pouco, ele afrouxou o casaco e, finalmente, o retirou completamente, aproveitando o calor do sol.

O vento reconheceu a derrota, e o sol sorriu gentilmente, mostrando que, às vezes, a gentileza e a persistência são mais eficazes do que a força bruta.

Desde então, naquela aldeia, as pessoas aprenderam a valorizar não apenas a luz do sol, mas também a calma e o calor que ele proporciona, mesmo nos dias mais sombrios.

E assim, a sabedoria do sol e do vento continuou a iluminar suas vidas por gerações.

Sol e Vento

.3- A Dança do Sol e do Vento

Em uma pequena vila às margens de um rio sereno, o sol e o vento eram amigos de longa data.

Todos os dias, eles se encontravam nos céus azuis e compartilhavam histórias sobre suas aventuras ao redor do mundo. Mas, apesar de sua amizade, havia um pequeno desacordo entre eles sobre qual era mais poderoso.

Certo dia, durante uma dessas conversas, o vento desafiou o sol a provar sua força.

Você pode aquecer a terra e iluminar o dia, mas duvido que possa fazer uma simples flor se abrir!, disse o vento, com um sorriso travesso.

O sol, sempre sereno e confiante, aceitou o desafio. Juntos, eles escolheram uma flor no jardim de uma casa próxima e decidiram que o primeiro a fazer a flor desabrochar seria considerado o mais poderoso.

O vento começou, soprando com toda a sua força em direção à flor. Ele agitou as folhas das árvores e fez as cortinas das janelas dançarem, mas a flor permaneceu fechada, resistindo ao seu toque impetuoso.

Então chegou a vez do sol. Com um brilho suave e constante, ele banhou a flor em sua luz dourada, pois, ele a aqueceu suavemente, acariciando suas pétalas com calor reconfortante.

Pouco a pouco, as pétalas da flor começaram a se abrir, revelando sua beleza ao mundo.

O vento, surpreso e impressionado, aplaudiu o sol.

Ele percebeu que, embora sua força pudesse mover montanhas e agitar os mares, era o calor gentil e constante do sol que tinha o poder de despertar a vida e a beleza ao seu redor.

Desde então, o vento e o sol aprenderam a dançar juntos nos céus, cada um reconhecendo e valorizando a força e a importância do outro.

E em toda a vila, as pessoas admiravam a dança graciosa do sol e do vento, lembrando-se sempre de que, juntos, eles tornavam o mundo um lugar mais bonito e vibrante.

Sol e Vento

4- O Encontro dos Elementos

Numa terra distante, onde os dias eram quentes e as noites eram frescas, o sol reinava soberano no céu durante a maior parte do ano.

Porém, havia uma região onde o vento soprava com tanta intensidade que era capaz de mudar o curso dos rios e moldar as montanhas ao seu redor.

Certo dia, o sol e o vento decidiram se encontrar para discutir qual dos dois era mais importante para a vida na Terra.

O sol alegava que era responsável por aquecer o mundo e proporcionar luz para todas as criaturas, enquanto, o vento argumentava que sua força era essencial para espalhar as sementes das plantas e refrescar o ar nos dias quentes.

Para resolver a questão, eles concordaram em realizar um desafio. Escolheram uma pequena flor solitária no alto de uma colina como testemunha de sua disputa.

O desafio era simples: Quem conseguisse fazer a flor se curvar seria considerado o vencedor.

O vento começou com entusiasmo, soprando com toda a sua força em direção à flor. Ele a sacudiu com vigor, fazendo-a balançar para lá e para cá.

No entanto, por mais que tentasse, a flor permanecia firme, suas pétalas desafiando a força do vento.

Então chegou a vez do sol, em suma, com um sorriso gentil, ele enviou seus raios dourados em direção à flor, pois, ele a acariciou com seu calor suave e envolveu-a em sua luz reconfortante.

Pouco a pouco, a flor começou a se curvar, rendendo-se à calorosa carícia do sol, pois, ao ver a flor se inclinando diante do sol, o vento reconheceu sua derrota.

Ele percebeu que, embora sua força fosse poderosa, era o calor e a luz do sol que tinham o poder de tocar os corações e dobrar a vontade das criaturas vivas.

Desde então, o sol e o vento aprenderam a trabalhar juntos, cada um contribuindo com sua própria força e habilidade para tornar o mundo um lugar melhor.

E a pequena flor na colina, curvando-se em reverência ao sol, tornou-se um símbolo da harmonia e da cooperação entre os elementos da natureza.

Picture of Walmei Junior

Walmei Junior

Sou Administrador de Empresa, Pós Graduado em recursos Humanos (MBA). Além de ser Coach, Palestrante, Practitinoer em Programação Neurolinguística, Hipnólogo e apaixonado pela mente humana e auto conhecimento.

Comente o que achou:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

---------------Veja mais---------------

PARA MAIORES INFORMAÇÕES CLIQUE NAS FIGURAS ABAIXO PRA COMPRAR.